ABRACAMED

A Cannabis no tratamento da Endometriose.

A Cannabis no tratamento da Endometriose
A doença atinge 10% das mulheres em idade reprodutiva. E pode causar cólicas intensas durante o período menstrual. A Cannabis pode reduzir o processo inflamatório e diminuir as dores.

Todo mês, o útero constrói uma espécie de ninho, chamado de endométrio, à espera de um espermatozoide. Quando o ciclo acaba, e nada acontece, esse material todo se desmancha e sai pela menstruação. Em mulheres com endometriose, esse material pode tomar outros rumos. Em vez de descer, ele sobe. E pode se prender às paredes dos ovários, trompas de falópio – ou qualquer outro órgão, como bexiga ou intestino.

Quando o período menstrual chega, essas células, alojadas onde não deveriam, se ativam. E isso dói. Muito. Mulheres com endometriose – que representam cerca de 10% daquelas em idade reprodutiva – podem ter cólicas intensas durante a menstruação. No útero ou em outras regiões. Se os nódulos chegarem à bexiga, urinar pode ser um sufoco, com dor semelhante a de infecções urinárias.

A terapia hormonal controla os sintomas em algumas mulheres, com o uso de anticoncepcionais. Casos mais graves podem exigir cirurgia.

Adriana Grosso, especialista em Pesquisa Clínica, acompanha de perto toda a literatura científica sobre uma nova esperança para alívio da endometriose: os canabinoides. 

Estudos mostram que o sistema endocanabinóide, que atua fisiologicamente na regulação do nosso metabolismo, também está associado ao controle dos hormônios do ciclo menstrual. Ainda que não se saiba ao certo as causas da endometriose, esses pesquisadores suspeitam que pode haver uma falha em partes do sistema endocanabinoide desses pacientes. E aí o corpo entra em desequilíbrio, num estado inflamatório, com dores constantes.

Segundo Grosso, é fácil entender por que a Cannabis pode ajudar: o CBD já mostrou ser um eficiente anti-inflamatório.

Mas há ainda outras descobertas recentes. Pesquisadores acreditam que os canabinoides podem bloquear a proliferação e migração celular. Ou seja, podem impedir que as células do endométrio se multipliquem desenfreadamente durante a menstruação e se prendam a outros órgãos. Eles também podem bloquear a síntese de substâncias pró-inflamatórias, modular a resposta imunológica e reduzir a dor.

“Existem médicos ginecologistas que já prescrevem CBD (com ou sem THC) para pacientes com endometriose. Esses médicos nos dão retorno e feedbacks de tratamentos (principalmente os que eu acompanho)”, explica Adriana Grosso. “Por isso, já existem evidências clínicas e práticas de que esse tratamento tem sido eficaz”, completa. 

Matéria: Cannabis&Saúde

Para saber mais sobre os benefícios da Cannabis Medicinal e mais patologias tratáveis acesse abracamed.com/tratamentos.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Comece seu tratamento agora
Rolar para cima